Grape Vine Pruning – First Step to Have a Good Harvest

We would like to share with you how we prune the vines of our vineyards. We use to start pruning early January and it lasts until beginning of March, depending mainly on the altitude of the vines. The prune is very important for the preparation of the following harvests. We have a conservative approach, looking for low production of concentrated bunches, not higher than 4 tn. /ha.

Watch the video and raise your questions.

Oscar Quevedo

If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribe to the feed and get future articles delivered to your feed reader.

  • http://www.prgrisley.com michael grisley

    It’s good to see you getting your hands dirty Oscar. It must mean its that time of year again, I hope this years harvest is another great one!

    • Solanofernandes

      FREITAS oi tenho uma videira miagra no meu quital ela tem 3 anos eu gostaria de saber porque ela produz pouco os caicho tem pouco frustos e os frutos sao pequenos qual  e melhor epoca para poda obrigado

      • Oscar

         Olá, talvez fosse melhor começar por sabermos em que país e região é que está localizado, se estiver no hemisfério norte a poda deverá ocorrer entre Dezembro e Fevereiro, se estiver no hemisfério sul entre Junho e Setembro. Por outro lado, também é importante saber a exposição solar, o tipo de solo, a protecção aos ventos, as temperaturas médias a que a videira está sujeita. Enfim, há muitos fatores que podem influenciar a quantidade e qualidade das uvas produzidas.

        • Jotademoreira

          Olá, Sr. Óscar estive a ver os seus vídeos e comentários, aprendi muito, já agora queria a sua opinião, fiz uma peque plantação de videiras na zona de Vila do Conde distrito do Porto, depois de ter lido os seus comentários fiquei com duvidas se fiz uma boa plantação ou não. Gostava que desse a sua opinião. Muito obrigado, João Moreira.

          • Oscar

             Boa tarde Sr. João, que castas plantou em Vila do Conde? Castas brancas com boa tolerância à humidade e que não precisem de altas temperaturas para amadurecer dar-se-ão certamente melhor.

  • Anonymous

    Hey Oscar,

    You say that you have a conservative approach, but what does that mean? Do some people leave more buds on the branch? More branches on the vine? What makes your method conservative, and why did you choose this method?

  • http://www.quevedoportwine.com/ Oscar Quevedo

    Exactly Gabriella, when I say conservative is referring to the number buds on each branch. We always leave 2 bud on each branch and a total of 4 branches per vine. A considerable number vine growers prefer 3 buds on each branch and each vine with 4 to 6 branch. In this case you will a higher production, 25% more in some cases. But the vine will have to make an additional effort to grow all that bunches. The grapes will result less concentrated and with lower levels of sugar – very important for the production of Port.

    Why do we prefer a conservative method? 1) vines live longer; 2) higher concentration of the grapes; 3) reduces the variability of the production across the years;

  • Helen

    Hello Oscar

    I am in my very first year of looking after a vineyard for an elderly friend who started an experimental cold climate vineyard in Romsey, Victoria, Australia. At the moment it is pruning time here, and I have been doing loads of research. Your site is wonderful by the way, and I will keep it as a favourite as my research continues through the seasons. Now to my question about pruning. I am using the same approach as you have described, but I sometimes find it difficult to identify 2 buds if the first bud is very close to the base. I read on another site that you should not count the first bud, if it’s 1/4″ or less from the base. Do you agree? I have only read this once in my hours and hours of research. If this is the proper practice it will mean I have left a lot of one bud spurs … will this cause a problem with what the vine produces? Thank you for any advice you can provide.

  • http://www.quevedoportwine.com oscar

    Hello Helen,

    Thank you very much for your nice comments about our blog!! Regarding your questions, when the first bud is very close to the base you don’t count it. So indeed you leave three buds. That is right, I agree with your information.

    Then, after the budbreak, and if no problems of frost affect the shoots, you cut the lower one, leaving just the upper two. In the case you leave just two buds (the lower one and other in the shoot), as it seems you were doing, don’t cut any. But don’t worry about that, my father uses to do the same when the vine is weak, protecting it from an abundant flowering.

    Let us know how your experiences perform!

    Oscar

  • Helen

    Thank you Oscar for responding so promptly and with some great info to help me with the rest of my pruning. It sounds as though I haven’t created too much havoc in the vineyard, and hopefully with your advice I will make some good pruning decisions for the rest. I will let you know how things look around Spring.

    All the best …
    Helen

  • Manuel Antonio Simoes da Costa

    Os meus comprimentos Oscar.Iniciei a transformacao de uma pequenissima vinha há dois anos.Com as castas touriga nacional,tinta roriz.Estamos na epoca da poda,e pretendo fazer a formacao/conducao em cordao bilateral royat,poda a talao.As cepas encontran-se neste momento com tres vigorosos sarmentos cada.O meu dilema e se devo ou nao fazer ja esta epoca a formacao/empa dos bracos, e com quantos olhos/gemas por braco admisivel.Pois receio que possa enfraquecer as cepas.A sua opiniao e saber dos principais topicos.Aguardo por respostas.BOAS FESTAS PARA TODA A FAMILIA QUEVEDO.

  • http://quevedoportwine.com/ Oscar Quevedo

    Caro Manuel,

    Muito obrigado pelo seu comentário. Pode desde já iniciar a formação da videira, deixando um dos três sarmentos. Normalmente escolhe-se o mais baixo e mais direito, que será dobrado sobre o 1º arame, ficando, durante esse ano como cordão unilateral. Deixa ficar dois olhos que estejam virados para cima na parte horizontal e um olho uns 10cm abaixo do 1º arame, que esteja do lado oposto ao lado para onde virou o sarmento, ou seja para onde iniciou a formação. Daqui por um ano terá dois talões no cordão mais antigo e poderá formar o segundo cordão com o sarmento que sair deste olho que agora deixa ligeiramente abaixo do 1º arame.

    Caso considere que há videiras sem vigor suficiente, escolha uma das três varas, corte pela altura do 1.º arame, deixando 3 olhos para os braços crescerem durante este ano.

    Se tiver dúvidas avise que eu posso tentar fazer um video sobre isto.

    Oscar

  • Manuel Antonio Simoes da Costa

    Comprimentos Oscar.Vou fazer o resto da plantacao na vinha,com as castas Touriga Nacional,Tinta Roriz e Tinta Barroca num solo,meio argiloso com cascalho e alguma terra preta á mestura.Solo que já foi cultivado noutras culturas,e que tem rasoavel drenagem.Numa parcela mais pequena pertendo plantar Touriga Franca,num solo mais argiloso com cascalho e com reduzida drenagem.Quais sao os porta-enxertos que recomenda.Aguardo por respostas.

  • Manuel Antonio Simoes da Costa

    Cmprimentos Oscar.Será uma boa opecaõ o porta-enxerto 1103P .O meu receio é que possa promover o dezavinho,pricipalmente na Touriga Nacional,devido ao vigor.E em relacao hás outras tres castas.Qual é a sua opiniao e saber.Obrigado pela resposta a primeira duvida.Aguardo respostas.

  • http://www.quevedoportwine.com oscar

    Olá Manuel, o 1103-P é uma boa opção para o tipo de solo que apresenta, mesmo para a Touriga Nacional.
    Quanto ao “solo mais argiloso com cascalho e com reduzida drenagem” sugiro que utilize o SO4 devido à má drenagem do terreno.

  • Manuel Antonio Simoes da Costa

    Comprimentos Oscar.Voltando as castas gostaria de saber se a casta Tinta Barroca e fertil nas gemas da base e se posso praticar a poda curta royat ou talao.Nesta casta em concreto qual o tipo de poda que a Quevedo pratica.Aguardo resposta.Saudacoes para toda a familia Quevedo.

  • http://quevedoportwine.com/ Oscar Quevedo

    Olá Manuel, nós praticamos poda Royat também com a Tinta Barroca e os resultados são bons. Já terminou as plantações?

    Oscar

  • Manuel Antonio Simoes da Costa

    Comprimentos Oscar.Ja terminei as plantacoes e neste momento ja estao todas a rebentar.Quanto ha outra metade plantada ha tres anos ja estao entre o estado fenologico E e o F ,com uma vista de encantar.Na tinta roriz esta a acontecer um fenomeno uma das tres jemas ou olhos que deixei no braco nao esta a abrolhar, nao acontece em todas.Qual a causa.Obrigado pelos esclarecimentos Oscar

  • Humberto Cirillo Malteze

    Caro Oscar, gostaria que se possível me informasse sobre a poda de videiras caso não queira deixá-las baixas.
    Possuo algumas videiras em na região de Atibaia, São Paulo, Brasil, por acaso você saberia a melhor época para a poda nesta região?Esclareço que a região é de clima temperado.
    Desde já agradeço a atenção dispensada.

  • http://www.quevedoportwine.com oscar

    Olá Humberto,

    Obrigado pelo seu comentário. Para poder armar a videira em ramada deve ir subindo as vides, atando ao arame e deixando 6 a 8 olhos por vide. Quando a vide chegar à altura que pretende, o que poderá levar vários anos, então pode formar um ou dois cordões na horizontal.

    Em relação à melhor altura para podar, creio que Agosto é a altura ideal. Se tiver problemas de geadas, atrase um mês para Setembro.

    Se tiver mais dúvidas ou se não fui suficientemente claro, deixe novo comentário.

    Oscar

  • Humberto Cirillo Malteze

    Obrigado pela ajuda e sugestões, seguiremos suas indicações e esperamos termos uma bao vindima.
    Você indicaria uma outra maneira de poda para manter a videira um pouco mais alta?
    Atenciosamente,
    Humberto.

  • http://www.quevedoportwine.com oscar

    Humberto, a melhor maneira é mesmo ir esticando as vides ano a ano e deixar olhos nas pontas, a partir donde a nova rebentação sairá no ano seguinte. Mas aproveite só a vide até um diâmetro mínimo de 1cm.

  • marco ferreira

    BOA TARDE,

    Sou um vinicultor de fim de semana que cultivo uma vinhas deixadas pelo meu pai na região da beira interior, como não conheço ninguem que perceba de produção de vinhos, gostaria, se fosse possivel que me ajudasse, a situação é a seguinte:
    tenho na ordem de 1500 lts de vinho em depositos de inox que deverá ter um alcool provável na ordem dos 11,5º, o mais estranho é que está nos depositos à sensivelmente 3 meses e ainda se encontra doce, dá-me a sensação que ainda está a fermentar, mas de uma forma muito fraquinha. O que devo fazer?
    Um abraço e obrigado.

    Marco Ferreira

    • Oscar Quevedo

      Olá Marco, obrigado por vir até aqui para partilhar as suas dúvidas. Se o vinho está doce é porque de facto a fermentação não terminou. E com estas temperaturas é altamente improvável que exista qualquer actividade fermentativa por parte das leveduras. Creio que deveria mandar fazer uma análise ao vinho para ver que açúcar tem e como está em termos de fermentação malolática. Se o vinho ainda tiver um nível de açúcar alto, qualquer coisa superior a 10 gramas de açúcar por litro, pode ser um alvo fácil de um ataque bactereológico. Neste caso talvez seja recomendado procurar retomar a fermentação com leveduras seleccionadas. Alternativamente, para proteger o vinho, terá de manter o sulforoso alto.

      Espero que tenha ajudado a esclarecer as suas dúvidas.

      Oscar

  • J.Cataclism

    Prezado Oscar, parabéns e MUITO OBRIGADO por manter online tão proveitoso video! Estou apenas começando a preparar o terreno para plantar variedades viníferas (em “espaldeira”) aqui na serra gaúcha, Brasil, e vossas informações também vêm sendo de fundamental ajuda.

    Que a produção do meio-ano que está por vir seja, novamente, bastante proveitosa para vós, pois aqui na vizinhança a colheita está apenas a começar.

    Até breve.

    J.Cataclism
    Brasil

  • Jose de Assuncao Nogueira

    muito bem e muito obrigado gostei

  • Andre

    Eu sou um jovem de 14 anos que quero ser agricultor/viticultor e gostaria de lhe fazera a seguinte pergunta?
    Se transplantarmos videira na primeira semana de março já com rebentos, a videira rebenta, ou seca?

    • Oscar Quevedo

      Olá André,

      Se os rebentos foram já de vários centímetros a videira talvez não os consiga aguentar e os rebentos acabem por secar. Outros poderão vir e rebentar, assegurando a sobrevivência da planta.

  • AndreVitiagri

    E outra pergunta!
    Eu plantei 2 videiras a 1,25metros de distância, e agora plantei outra a 0,55cm de distância de ambas, e eu queria saber se quando as parreiras nascerem se faz mal as raizes das 3 videiras “enliasrem-se” ou “tocarem uma na outra”???

  • AndreVitiagri

    Outra pergunta!
    eu Plantei uma videira e para crescer direita, o meu avo deu-me um tubo com buracos pequenos e aberto em cima, e a videira está rebentando, mas as folhas estão tocando no tu e eu queria saber se faz mal as folhas tocarem no tubo?(secarem-se?).
    (Se não perceberam bem esta pergunta eu depois publico uma imagem, e uma explicação mais “razuável”

    • Oscar Quevedo

      Olá André, obrigado pelos seus comentários e dúvidas! Em relação à questão das raízes se entrelaçarem, não há problema nenhum, desde que haja nutrientes e sais na terra e alguma humidade para alimentar as 3 videira. O único problema de plantar tão próximo tem a ver com a rebentação. Uma vez elas rebentem, cada videira só vai ter 25cm para cada lado para se expandir, e isso pode ser pouco. Para ter uma ideia, as nossas videiras estão a 1m de distância, ficando com 50cm para cada lado.

      Quanto ao fato das folhas da jovem videira estarem a tocar no tubo, não há problema nenhum, desde que não atinja temperaturas muito altas, +40º. Nesse caso poderia queimar todo o enxerto.

      Oscar

    • Ze

      o tubo verde serve para proteger a planta contra os animais, evitando que sejam comidas. Além disso cria um micro clima dentro do tubo favoravel ao desenvolvimento da planta.
      O facto das folhas tocarem não apresenta qualquer problema.

  • Paulo Pereira

    Boa tarde Oscar Quevedo. O meu nome é Paulo Pereira, não entendo nada de vinhas, porém é uma área que me despertou interesse depois de ter trabalhado na zona do Douro. Aproveito para dar os parabens pelo video que é simples mas muito simples de entender mesmo para quem não tem contacto com videiras. Já agora a poda presente neste video é a guyot dupla? Outra questão, sei que para formar uma videira o ideal é enxertar a qualidade em raiz bravia. O meu pai tem duas videiras americanas de uvas para consumo que julgo pertencerem á classe vitis labrusca, será que posso fazer enraizamentos desta qualidade e enxertar depois com qualidades como por exemplo a Touriga nacional ou variedades do vinho verde uma vez que sou da zona do vinho verde?
    Muito obrigado pela atenção.
    Cumprimentos

    • Oscar Quevedo

      Olá Paulo, obrigado pelos simpáticos comentários. É certo que esta é a poda Guyot duplo. Em relação às videiras americanas vitis labrusca, podem ser utilizadas como cavalos em enxertia, sendo enxertadas com o cavaleiro que entender. Estando na zona dos vinhos verdes não creio que seja recomendada a Touriga Nacional. Tem tão boas castas nos verdes que valem a pena ser aproveitadas.

      Oscar

  • Humberto Cirillo Malteze

    Caro Oscar, gostaria que se possível me informasse sobre a poda de videiras caso não queira deixá-las baixas.
    Possuo algumas videiras em na região de Atibaia, São Paulo, Brasil, por acaso você saberia a melhor época para a poda nesta região?Esclareço que a região é de clima temperado.
    Desde já agradeço a atenção dispensada.Humberto Cirillo Malteze

  • Elson Guimaraes

    DESTES AÍ O EXEMPLO DE UMA VIDEIRA JÁ FORMADA , QUE JÁ PRODUZIO VARIAS VEZES ; GOSTARIA DE VER EXEMPLO DA PRIMEIRA PODA , OU SEJA , AQUELA QUE SE FAZ NO PRIMEIRO ANO DA VINHA PLANTADA !   GRATO  !

    • Anonymous

      Vou procurar fazer um vídeo com uma videira em formação Elson.

  • Artistafabianosilveira

    Boa tarde,
    Vamos mudar de casa e pretendo levar algumas videiras mas elas tem mais de 15 anos é possível?  Gostaria de receber informações de como proceder?

    • Anonymous

       Bom-dia, com essa idade é difícil que as videiras aguentem ser replantadas. Pode tentar, sempre durante a época entre o fim da vindima e duas semanas antes do início da nova rebentação. Reduza o número de rebento e tente retirar o máximo de raízes possível, tão findo quanto possível.

  • andrevitiagri

    este saite tem me ajudado muito…

  • Manuel Soeiro Alves

    Tenho uma questão que caso saiba, gostaria que me respondesse; há uma vinha que ainda não foi podada, já não se deve podar ou é melhor podar, ainda que seja tarde….

  • Carlos Infante

    É preciso regar as videiras

    • Oscar Quevedo

      Olá Carlos, a rega no Douro só é autorizada até ao 5º ano de crescimento da videira.

  • Carlos Senhor

    Boa tarde, eu sou um velhote a entrar na reforma, mas gosto de mexer e aprender, entao no fim do mez de outubro preperei um terreno para plantar uns 30 pès de vinha, eu procuro castas tintas para dar (robe) e grau au meu vinho +- bio, trato as cepas sempre que possivel com caudeburdelesa, que faço eu mesmo,o meu terreno situa-se entre Leiria e Figueira da Foz a Km do mar, por isso bastante ariento, dai as minhas duvidas que casta plantar.
    Obrigado pelos seus videos e comentarios é bom aprender coisa novas a aplicar.

    • Oscar Quevedo

      Bom dia Sr. Carlos,

      Sem saber muito sobre o seu terreno e sobre as suas condições para plantação e crescimento, sugeria o Arinto se está à procura de uma casta branca e o Castelão se quer uvas tintas.

  • Carlos Senhor

    Sr. Oscar, queria fazer uma pergunta de novato; a poda é so no minguante, ou a lua nao tem importancia para a produçao e qualidade dos foturos vagos.

    Obrigado e boas festas.

    .

    • Oscar Quevedo

      Nós fazemos a poda em qualquer altura, sem prestar atenção à ciclo da lua. Mas há alguns produtores, os chamados biodinâmicos, para quem a lua tem muita importãncia.

  • http://www.facebook.com/joao.cardosodossantos.7 João Cardoso Dos Santos

    Olá Óscar! Parabéns pelo vídeo. Herdei uns terrenos em Pombal de Ansiães aí pertinho, em Carrazeda. Uma das vinhas tem cerca de 80 anos, sendo que parte da vinha está bastante saudável, a parte de cima (são socalcos com alguma inclinação), está mais fraca devido talvez à fuga de nutrientes que as chuvas arrastam e também à localização de um monte perto dessas cepas. Não percebo muito de agricultura mas gostava de me enturmar mais. Será que me podia dar alguns conselhos e quanto a manuais mais práticos sobre poda e afins.

    Estava também a pensar replantar uma parte dessa vinha e do monte anexo com uva branca, que segundo dizem entendidos é excelente naquela região, aliás, antigamente as vinhas eram quase tds de uva branca e hoje em dia há muitos interessados pelas uvas brancas de lá. Que castas me aconselha?
    Obrigado e um bem haja

    João Cardoso Santos

    • Oscar Quevedo

      Caro João, obrigado pelo seu comentário. Creio que um bom livro para o que pretende é o Tratado de Viticultura do Prof. Nuno Magalhães. Já li partes do livro e é muito interessante e ajustado ao Douro. Outra possibilidade é o também Tratado de Viticultura de Luis Hidalgo. Em relação às castas, o que nos estamos a plantar na zona de S. João da Pesqueira é o Viosinho, Rabigato e Gouveio. Força com esses projetos!

      Oscar

      • http://www.facebook.com/joao.cardosodossantos.7 João Cardoso Dos Santos

        Obrigado Oscar.
        Estive a fazer a pesquisa da bibliografia, mas penso que o do Prof Nuno Magalhães está esgotado!

      • http://www.facebook.com/joao.cardosodossantos.7 João Cardoso Dos Santos

        Já agora, uma vinha que já não seja podada há cerca de 2 3 anos, mas que era uma vinha velha e saudável, com uma boa poda e bem adubada ainda recuperará?

        • Oscar Quevedo

          Talvez ainda recupere, mas convém ser bem podada. Adubo também ajuda, tal como remoção das ervas pricipalmente junto ao toro.

          • http://www.facebook.com/joao.cardosodossantos.7 João Cardoso Dos Santos

            Mas quando fala de uma boa poda será uma do género da que demonstra no vídeo, certo?

          • Oscar Quevedo

            A poda do vídeo é cordão bilateral de Guyot, que é uma poda introduzida no Douro há poucas décadas. Se as suas videiras têm cerca de 80 anos, a poda é certamente mais tradicional, e outro método.

  • luis manuel

    boa noite.hoje cortei uma videira antiga que tinha numa ramada alta em minha casa.ja era velha e secou ,,gostaria de saber ,qual a casta melhor para plantar agora la… zona de vouzela ,, sem ser a videira americana… obrigado

    • Oscar Quevedo

      Olá Luis, pergunta difícil! Depende do solo, exposição solar, e sobretudo daquilo que quer produzir, se uvas brancas ou tintas. A minha sugestão é que explique ao viveirista onde vai comprar a videira aquilo que pretende, ele conhecerá certamente melhor a vossa zona do que eu!

  • vatei

    boa noite plantei uma videira em novembro e ainda não comecei a poda porque não sei sera que me podem explicar como fazer a poda ?

    • Oscar Quevedo

      Olá, no primeiro ano não precisa de fazer a poda às videiras, deixe-as crescer bem e no próximo Inverno aí sim vai ter de podar.

  • manuel

    Olá espero não estar a ser inconveniente gostava de saber se fosse possível qual a melhor casta para plantar numa za calcária za gáfete. cdato

    • quevedo

      Olá Manuel, em que zona em que está a pensar plantar as videiras, húmida ou seca? Serão tintas ou brancas?

      • Manuel

        Tintas numa za seca

        • Manuel

          Olá, será que eu plantando a toriga nacional, aragonês e alicante eu possa fazer uma combinação perfeita,

          • quevedo

            Olá Manuel, são castas que se adaptam bem a climas secos, e plantando mais do que uma variedade vai reduzindo o risco que num certo ano, alguma tenha problemas.

          • Manuel

            Srº Óscar será que Fernão Pires e Antão Vaz combinam.
            Obrigado

          • quevedo

            Não conheço o suficiente estas duas castas para lhe dar uma opinião válida!

  • luis

    ola sr Oscar, tenho na quinta do meu pai estas duas videiras ja sa mt antigas ,gostaria de saber o nome das castas,, zona de viseu,obrigado

    • quevedo

      Bom dia Luis, não vou conseguir ajudar, não conheço assim tantas castas e honestamente não identifico a da foto.

  • Carlos Infante

    Amigo e sr.Oscar.
    Eu tenho uma videira da casta moscatel tinta,está num canteiro,mas as raízes estão fundas,mas estão tapadas por mosaico.
    Foi plantada o ano passado e deu um cacho óptimo.
    Este ano cresceu imenso,deu vários cachos mas foram-se degradando com o crescimento do mesmo.
    As perguntas são as seguintes:
    Será por estarem as raízes tapadas que isto acontece?
    Será por falta de agua?
    Agradecia a suas dicas para este problema.

    • quevedo

      Boa tarde Carlos, sabe quando é que os cachos se começaram a estragar? Durante Julho e Agosto? Tlavez tenha sido algum fungo, oídio, míldio, doenças da videira que exigem que se façam tratamentos para proteger as uvas. Vive numa zona húmida?