A glass of wine helps to forget the economic situation

Nos últimos tempos Portugal tem recebido mais cobertura da imprensa internacional do que aquela a que está habituado. E não é só para falar dos seus vinhos. Na verdade, trata-se de uma publicidade que ninguém deseja. A actual situação económica está a preocupar muitos em Portugal e no estrangeiro. Os portugueses estão preocupados com os empregos, com o poder de compra e consequentemente, com o nível de vida. Lá fora as preocupações devem-se sobretudo à possibilidade dos portugueses não pagarem os empréstimos contraídos.

As preocupações de ambas as partes são aceitáveis. A taxa de desemprego em Portugal continua a aumentar, mantendo em Janeiro o valor mais alto de sempre alcançado em Dezembro, nos 11.2%. O PIB per capita divergiu assustadoramente da média da UE-15 na última década e o valor disponível para consumo também se reduziu devido a congelamentos salariais e a aumento de impostos. Tudo isto para que o Governo possa controlar umas contas que há duas décadas andam descontroladas.

Com o mercado nacional a sofrer as consequências de uma dura situação económica, torna-se ainda mais importante para as empresas portuguesas focarem-se nas exportações. É certo que alguns dos vizinhos e parceiros económicos, como Espanha, Itália ou França, não estão numa situação económica muito melhor que a portuguesa. Contudo, países como a Alemanha ou os EUA já estão a mostrar crescimentos sustentados, com uma procura interna sustentável.

De um ponto de vista extremamante egoísta, a actual situação económica portuguesa está a ajudar-nos a manter os custos baixo. Não há pressões salariais e os preços das matérias-primas como o vidro ou a cortiça não têm variado. Apenas o cartão parece estar a encarecer. Além disso, enquanto a chuva e o sol forem gratuitos o preço das nossas uvas não variará muito!

Dois anos depois de deixar o meu emprego no mundo das finanças, encontro uma situação económica mais débil, mas, por outro lado, o consumo de vinho no mundo aumentou. Parece que o vinho é um bom anti-recessivo!

Oscar