Mimosas invadem o Douro

Já se apercebeu, durante a última visita que fez ao Douro, de uma árvore de folha perene, de crescimento veloz e com uma flor amarela que faz lembrar cachos de uvas brancas? Esta espécie de árvore forasteira, Acacia dealbata, conhecida por cá como Mimosa, adora proliferar nas bermas das estradas e também nos vales próximos a cursos de água. É originaria da Austrália e rapidamente conquistou a região Mediterrânea pela combinação de humidade e calor que por aqui se apresentam.

Há umas semanas atrás conduzia de S. João da Pesqueira para Foz-Côa quando deparei com um grande número de mimosas espalhadas por toda a parte. Há medida que o clima fica mais seco e mais austero em direção à zona este do Douro Superior, há menos vegetação a crescer, os arbustos são mais pequenos e poucas árvores nativas crescem. Suponho que esta falta de vegetação nativa torne o processo de desenvolvimento da mimosa mais fácil. Esta árvore foi já catalogada como a espécie mais invasiva em Portugal. Mas é preciso agora tomar medidas no terreno para parar a expansão da mimosa.

Os meus avós costumavam ter uma grande e velha mimosa na sua casa em Linhares. O aroma e cores das flores eram muito agradáveis e a árvore era já parte da casa. Mas naquela altura, havia só uma mimosa, e só estava ali. Nós não queremos que só veja mimosas e videiras da próxima vez que vier até cá.

Oscar

If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribe to the feed and get future articles delivered to your feed reader.