Extra virgin organic olive oil produced by Quevedo

Azeite biológico Quevedo – 75cl

Há uns anos atrás a minha irmã chegou a casa e disse para o meu pai: “Pai, porque não convertemos o olival para produção biológica?” O meu pai olhou para ela e respondeu com outra pergunta: “porque o deveríamos fazer?”. E é quando a Cláudia diz algo como: se deixarmos de utilizar produtos químicos na produção, o que não traz assim tanto trabalho acrescido, tenho a certeza que muitas pessoas vão gostar da ideia. Além disso, cada vez mais consumidores procuram alimentos orgânicos. E todos queremos um ambiente mais sustentável e menos manipulado.

E foi quando tudo isto começou em 2006. Os olivais estão localizados em Valongo dos Azeites – que melhor nome podia a aldeia ter?!? Valongo dos Azeites encontra-se a 14km de S. João da Pesqueira, vila onde nós vivemos. Valongo dos Azeites é a terra onde os nossos antepassados viveram, há umas quantas décadas atrás. A poucas centenas de metros do olival, ainda se encontra a casa onde a nossa avó cresceu. Valongo dos Azeites é uma pequena aldeia com 227 habitantes (2011) e o facto de incorporar a palavra azeite no seu nome não é certamente por acaso, mas porque tem condições extraordinárias para produzir um azeite de cor dourada e aroma extraordinário.

No total temos 25 hectares de olival com uma média de idades das oliveiras de 50 anos. Como algum do terreno estava por plantar, há uns anos o meu pai plantou umas centenas de oliveiras jovens. O conjunto do olival é agora de 4.000 oliveiras, produzindo por volta 5.000 litros de azeite.

Estamos muito contentes com este projeto de olival biológico. É certo que as culturas biológicas consomem mais tempo e recursos do que se cultivados da maneira convencional, mas mantemos uma diversidade de ervas, insectos e outros pequenos animais que não sobreviveriam ao uso de herbicidas.

Aqui fica um artigo que escrevi há uns anos sobre o colheita de azeite biológico. Este video mostra-nos a máquina de apanha da azeitona.

Venham esses comentários sobre a segunda mais importante cultura do vale do Douro e partilhem connosco o vosso interesse pelo azeite.

Oscar