Heat wave burns sun facing grape berries

As consequências da vaga de calor de três dias que se verificou no inicio da semana passada não são agradáveis para as videiras. O período mais quente foi entre a segunda-feira 25 e a quinta-feira 28, com as temperaturas a subirem até aos 48º C ao meio dia, e durante a noite, a não baixarem dos 25ºC. Nalgumas partes do Douro, como no Douro Superior, mas não só, o sol era tão quente que acabou por queimar as uvas que estavam expostas ao sol. Se ao menos houvesse uma folha a tapar… O efeito foi potenciado naquelas vinhas que tinham sido pulverizadas com um composto à base de enxofre para combater o oídio.

A fotografia mostra alguns bagos verdes, os que estavam protegidos do sol, enquanto que outros estão secos. Os bagos secos/ queimados não voltarão a recuperar e terão este aspecto até à vindima. Isto significa mais trabalho na mesa de escolha para remover os bagos secos, que de outra maneira dariam um gosto seco ao vinho.

A vaga de calor terminou. Talvez tenha sido só um aviso de que o Verão estava a começar e qualquer coisa pode ser esperada. As temperaturas estão agora mais baixas, com os termómetros nos 12ºC às 8.30 da manhã e que deverão subir até aos 25ºC lá para o meio do dia.

Oscar