Quevedo Relatório de Vindima 2015

http://quevedoportwine.com/wp-content/uploads/2015/10/IMG_20150921_074918.jpg
Quevedo Relatório de Vindima 2015

Se achar que a chuva durante a vindima pode apenas trazer dores de cabeça, mude de ideias. Em 2015, ao contrário dos dois anos anteriores, os melhores vinhos foram produzidos alguns dias depois de 30mm de chuva terem caído na Quinta Vale d’Agodinho, no coração do Douro vinhateiro. Desta vez iniciamos o relatório de vindima pelo final do ciclo: uma generosa quantidade de chuva que caiu durante a vindima trouxe a maturação perfeita às videiras e os melhor vinhos à adega. Antes da chuva, bem, vamos agora ao início do ciclo.

O inverno foi frio e seco, e ainda que a primavera tenha trazido temperaturas mais quentes, bem acima das médias de longo-prazo, a chuva continuou a ser pouca. O ciclo da vinha iniciou cerca de uma semana antes do normal. Em termos de quantidade foi um ano regular, com cerca de 3,5 toneladas por hectare. O verão chegou ameno masarrefece e manteve-se mais fresco do que é normal, o que foi um ótimo sinal. As videiras não tinham muitas reservas de água no solo mas pelo menos julho e agosto não estavam a ser demasiado severos, e mais importante ainda, a temperatura durante a noite em Agosto descia aos 12ºC.

Em Setembro as uvas tinham um aspecto excelente, sem doenças, desidratação ou passas. Estava tudo em linha para uma boa vindimas, mas longe de ser fantástica. E quando chega a chuva, dias 15 e 16 de Setembro ficamos imediatamente muito preocupados. Os dois anos anteriores, 2013 e 2014, foram tremendamente prejudicados pela chuva durante a vindima. Surpreendentemente 2015 ia ser diferente. A chuva caiu suavemente durante dois dias e foi seguida de fortes ventos que ajudaram a secar uvas e folhas.

Quando veio a chuva mandámos os vindimadores para casa durante alguns dias e esperámos para ver como é que as uvas reagiam à chuva. E o que aconteceu foi que a qualidade das uvas melhorava de uma forma extraordinária de dia para dia. Na segunda feira 21 de Setembro quando retomámos a vindiama foi um alívio enorme que sentimos. Foi surpreendente ver que a considerável quantidade de chuva que tinha caído a meio da vindima mudou para muito mehor a qualidade dos vinhos.

Espero que em breve prove e comprove esta história! E se quiser ler mais sobre a vindima no Douro em 2015 leia este artigo no blog da Graham’s.

Oscar