Quevedo visiting Quinta de Ervamoira owned by Ramos Pinto

Há duas semanas atrás fui passar o fim-de-semana a Foz-Côa com os amigos da universidade. Esta cidade encontra-se no Douro Superior e é famosa pelas suas amendoeiras em flor, processo que ocorre entre Fevereiro e Março. Durante os anos 90 foram encontradas em Foz-Côa gravuras do paleolítico nas margens do rio Côa. Algumas das gravuras encontram-se na Quinta de Ervamoira, a qual visitámos no domingo de manhã. As gravuras foram encontradas durante os trabalhos preliminares à construção da barragem do Côa. Actualmente a construção da barragem está suspensa, uma vez que levaria à submersão das gravuras bem como da Quinta de Ervamoira.

A Quinta de Ervamoira, propriedade da Ramos Pinto, tem uma vastíssima extensão de vinha, formando um manto muito bonito. Há já uns tempos que queria conhecer esta quinta e visitar o Museu de Ervamoira. Durante a visita tivemos ainda oportunidade de provar alguns vinhos: Bons Ares 2007 branco, Duas Quintas 2006 tinto, Duas Quintas Reserva 2005 tinto e Bons Ares 2006 tinto. Divertido e didáctico, este passeio deu-nos a conhecer melhor a Ramos Pinto e os seus vinhos. Vale a pena visitar a Quinta de Ervamoira. Além disso, a Sónia Teixeira é uma excelente guia!

Aqui ficam dois vídeos da nossa longa visita. Tão longa que alguns dos nossos amigos se zangaram ao esperarem pelo nosso grupo para almoçar em Foz-Côa. Não podemos avisar que íamos chegar tarde, não há rede por aqueles lados. Sim, há poucos, mas felizmente ainda há sítios onde podemos estar incomunicáveis.

Oscar Quevedo