Três coisas que tornam o Douro especial para Thomas Kern

Entre o final de 2009 e Junho de 2010, tinha uma espécie de ritual bi-semanal que constava da realização de jantares de prova de vinhos, os quais utilizávamos para descobrir mais sobre vinhos não só feitos no Douro, mas também noutras regiões portuguesas e do mundo. Nestas provas participavam entre 8 e 10 pessoas, todos amigos do tempo de faculdade, com uma excepção, Thomas Kern. Na altura o Thomas era o consul da Alemanha no Porto e enriquecia imenso as provas uma vez que conhece os produtores do Douro como nenhum de nós conhecia. Por isso trazia tanto interesse às nossas provas. É também um apaixonado por vinhos e a frontalidade e objectividade do seu pensamento tornavam as nossas provas em lições sobre vinho para os restantes participantes.

Infelizmente o consulado alemão fechou as portas no Porto e o Thomas regressou à sua terra Natal. Contudo, cremos que é importante manter uma certa regularidade nas nossas provas, ainda que seja só uma prova por semestre, nem que para isso tenhamos de viajar 4.000 km.

Assim, lá viemos nós até Berlim visitar o Thomas e, ao mesmo tempo, melhorar o nosso conhecimento sobre vinhos brancos alemães e tintos portugueses. Uma vez que o Thomas conhece muito bem o Douro e a cultura portuguesa, uma vez que viveu no Porto quatro anos, pedi-lhe que destacasse três coisas que o tornam diferente. Veja o video e descubra, o que aos olhos de um estrangeiro, torna o Douro especial.

Oscar

If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribe to the feed and get future articles delivered to your feed reader.

  • http://www.worldofport.de Axel Probst

    Very nice comment, I thought Thomas was from the press. Looking forward to seeing both of you at Pro Wein.

    Axel