Water, where are you?

Aqueles que visitaram o sul da Europa nas últimas semanas sabem bem o significado do título deste artigo. O tempo no vale do Douro, em Portugal, e também em muitas áreas do Mediterrâneo tem estado fabuloso. Céu limpo com o sol a brilhar desde o amanhecer até ao anoitecer, acompanhado de temperaturas amenas. Se não vivêssemos da agricultura, mais precisamente da viticultura, este seria o nosso clima de eleição. Mas sol a brilhar significa que não chove e as videiras precisam de água para esta nova temporada que está prestes a começar.

Estive a ver osdados nacionais de pluviosidade dos últimos meses do SNIRH e são realmente desapontantes. Quase ainda não choveu em Janeiro, em Dezembro choveu um terço da média de longo prazo, e pior, em todo o ano de 2011 a pluviosidade foi inferior a 50% da média anual dos últimos 70 anos.

Consequências: estamos em Janeiro, no pico do Inverno, e já estamos em seca moderada em todo o território do vale do Douro, segundo o Instituto Português de Meteorologia. Não são boas notícias de todo para o ano que está a começar. Para fazer bom vinho numa região quente como o Douro, as videiras necessitam de ter acesso a suficientes reservas de água no subsolo, o que agora não se verifica. Como deve estar recordado, a rega no Douro é proibida, sendo apenas permitida em certas e muito específicas condições. Esperemos assim que o bom tempo termine e que as negras e carregadas nuvens comecem a mover-se do Atlântico para interior, em direção ao Douro.

Oscar