Provas de Vinhos Estão na Moda

Wine is FashionHá uns dias atrás estava no trabalho quando a minha colega Ame começou a falar de vinhos. No início permaneci no meu lugar a escutar atentamente. Ela estava a explicar que começou a gostar de vinhos graças a uma prova de vinhos. Até esse dia nunca tinha bebido vinho porque associava o vinho a uma bebida de velhos. Mas nessa noite tudo mudou.

Os anfitriões do evento decidiram tornar a ocasião numa prova semi-profissional e prepararam questionários com guias para iniciados (“Qual é a aparência do vinho? Está limpo? Como se comporta o anel que o vinho forma em contacto com as paredes do copo? Cai rapidamente? Mais lentamente?…”) Cada convidado trouxe uma garrafa envolta em papel de alumínio (para evitar influências de marcas ou de rótulos) e o menu estava bem definido: aperitivos; salada de queijo de cabra como primeiro prato; lasanha de cogumelos como segundo prato; brownie com gelado de baunilha de sobremesa.

Quando a minha colega chegou, apercebeu-se que apenas dois convidados sabiam alguma coisa sobre vinhos. Os restantes também eram principiantes. Afinal não estava sozinha no concurso!! Começaram a prova de vinhos, acompanhando com diversos tipos de pães espanhóis e presunto ibérico (ainda que não tivessem comido muito presunto para evitar misturas de aromas e sabores). O anfitrião começou a falar da aparência do vinho e deixou algumas indicações sobre as possíveis características que com a prova gustativa poderiam apreciar. Depois passaram à fase olfactiva. Aqui a minha colega disse que lhe parecia muito difícil definir o aroma e optou por escutar atentamente as indicações do anfitrião. Depois de provarem o vinho repetiram o processo para cada um dos outros vinhos que tinham: 6 no total. Quando terminaram de provar classificaram cada um deles. O quarto acabou por ser o preferido dela. E quando retiraram o papel de alumínio… SURPRESA!!! Era o vinho mais barato!! Tinha explicação, os provadores mais jovens preferem vinhos mais fáceis de beber. Mas depois acrescentou que nas provas cegas que posteriormente fez preferiu já vinhos mais elaborados. Agora é quase uma “expert”!

O evento acabou por ser um completo sucesso. É engraçado ver como uma coisa tão tradicional como provar vinho pode acabar sendo muito cosmopolita. Quando me acabou de contar a história não pude deixar de lhe falar na Quevedo. Ela está com muita vontade de visitar o Douro e provavelmente em dois meses possamos ir juntos a S. João da Pesqueira e mostrar-lhe o processo de elaboração do Vinho do Porto. Mas antes vamos organizar uma prova de vinhos na minha casa com o Óscar (Jr.) como anfitriões, e divertir-nos com as particularidades dos vinho Quevedo. Espero que ela goste!!

Sejam felizes e até ao próximo post!
Nadia Adria

If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribe to the feed and get future articles delivered to your feed reader.

  • http://www.cortesdecima.com

    Excelente post Nadia. Parabéns!

  • Vitor Mendes

    Olá Nadia, na verdade há um enorme trabalho a fazer para trazer os jovens para o mundo dos vinhos. Aqui em Portugal nomeadamente há muito a ideia de que o vinho é apenas para pessoas entendidas, e que os restantes são “obrigados” a beber algo com “nome”, porque ouviram dizer que era bom… mas é importante que os produtores se preocupem em fazer chegar aos seus potenciais clientes uma ideia de normalidade e de divulgação, sem compromissos de qualquer espécie. Continuo a achar que se fazem pouquíssimas feiras em Portugal, isso ajudaria a divulgar muito mais os nossos vinhos. Outra coisa que já existe noutros países, nomeadamente nos EUA, são empresas que têm como serviço elaborar “wine parties” em casa dos clientes, onde se fazem essas provas cegas… fantástico, não?! Temos de avançar, mas aos poucos as mentalidades vão mudando, e nós havemos de chegar lá. O Douro por exemplo está pleno de gente jovem, como a vossa equipa, e estou convencido que vamos todos juntos mudar o panorama do vinho em Portugal… contem comigo!

  • http://www.quevedoportwine.com nadia

    Vitor, concordo plenamente contigo: há muito caminho por recorrer no target mais jovem. Gostei muito da ideia das “wine parties”, acho que seria muito interessante encontrar a maneira de chegar a fazer um grande evento tipo os J&B Nightology mais com o toque pessoal, elegante e sofisticado que precisam os vinhos. Em Madrid fazem-se festas patrocinadas pelo Moet Chandon. ¿Por que não fazer uma festa Porto Quevedo? Até para os alunos das universidades. Não podemos deixar de pensar em melhorar e fazer coisas novas. Obrigada Vitor!